Ah e tal... Coiso... Mais um blog pessoal -_-'
comentar
escrito por RV, em 17.01.09 às 11:59link do post | | Adicionar aos Favoritos

Tempos tenebrosos aproximam-se e é mais do que urgente conseguir condensar tudo em tão pouco espaço. A sua vida depende disso e o seu sucesso ditará o seu resultado final.

By me :D

Segurança em Laboratório

Ah e tal, no laboratório andamos a brincar com bactérias. Umas bonitas [só morfologicamente] outras feias [enterobactérias :|] e outras perigosas [a Pseudomonas aeroginosa pode levar à febre reumática, mas a enterococcus faecalis também pode].

Seja como for há que destacar o Top 5 de profissionais que adquiriram SIDA no seu local de trabalho:

  1. Técnico de Laboratório =O (24,8%)
  2. Enfermeiro (25,7%)
  3. Médico (12,9%)
  4. Técnico Biomédico/Paramédicos (6,9%)
  5. Dentista/Técnico Dentista (5,9%)

Da mesma forma, há que notar o Top 5 de formas de infectar [a evitar ]

  1. Salpicos e aerossóis* (26,7%)
  2. Perfuração/ferida com agulha (25,2%)
  3. Perfuração/ferida com objectos pontiagudos (15,9%)
  4. Mordedura ou arranhão de animal ou ectoparasita (13,5%)
  5. Pipetação à boca (13,1%)

De facto, vários estudos indicam que os laboratórios são o principal local de infecção, mas não se preocupem. Alguns estudos também apontam que os casos de contaminação "comunitária" não são normalmente devidos a laboratórios. Estas preocupantes estatísticas resultam nos mais justificados "Manuais de Boas Práticas em laboratório".

 

Aconselho a ler alguns, pois de um momento para o outro passamos a ter uma bactéria que nos pode causar infecções simplesmente por respirar os gases libertados do meio de cultura. Eu sei... É enfadonho ler esses textos, e algumas das medidas não são nada mais do que bom senso xD

 

Fala-se em contenção biológica quando na realidade se quer dizer "evitar a todo o custo os agentes infecciosos". Temos depois contenção primária quando se quer resumir todos os métodos [incluindo as boas práticas] que protejam o nosso "couro" e o espaço onde estamos. Ainda existe a contenção secundária que resume todos os métodos que protejam a propagação para o exterior [tipo não usar a bata fora do laboratório ou por exemplo, paredes e chão lisos (para evitar a adesão de colónias bonitas)].

 

Segundo o que tenho lido, podemos resumir a contenção biológica a (1) Boas Práticas, (2) Equipamento de Segurança, (3) Desenho das Instalações [quando estive em laboratórios usei o (1) e o (3), mas nada de barreiras pessoais (aka luvas, máscara) :|]

 

 

Começando pelo início [lol?] verifica-se que as boas práticas dependem exclusivamente de quem está no laboratório. Ou se seguem as boas práticas laboratoriais ou não. Cada laboratório tem o seu próprio manual de boas práticas onde explicita quais os principais perigos e como responder em caso de infecção, por este ou aquele método.

Por exemplo, já foi falada que a principal forma de contaminação por ingestão é a pipetação à boca; por inoculação a principal era cortes e agulhas; por contaminação da pele e mucosas, são os derrames; por inalação, os ditos aerossóis (usar ansas, pipetar, etc).

 

CONCLUSÃO: vê se lês o manual de boas práticas do teu laboratório ou podes acabar infectado por tua conta e risco. A preocupação não é a tua saúde! Nada disso!

Se fizeres asneira, o problema é que podes acabar por lixar os outros!!!

 

Passando para os Equipamentos de Segurança, verifica-se que os principais equipamentos são as Câmaras de Segurança Biológica (também conhecidas de Câmaras de Fluxo Laminar). São separadas nas Classes I, II e III; sendo a I a menos segura e a III de alta segurança (completamente isolada).

 

Terminando com o Desenho das Instalações, há que referir que são uma importante barreira, tanto ao nível da contenção primária como da secundária.

Aqui incluem-se sistemas de ventilação, organização e esterilização de material sujo vs limpo. Passa também por controlo de acesso, ou mesmo a localização e isolamento do edifício/laboratório.

 

 

Para "organizar" o perigo dos laboratórios, foram criados os NSB (Níveis de Segurança Biológica) que servem para dar de forma rápida o nível de perigo e o nível de segurança que é requerida para aquele laboratório ou agente microbiano. Segue-se uma explicação muito... Simples...

  1. NSB-1.
    • Nível Baixo.
    • Sem Stresses, não há barreiras obrigatórias, a não ser... LAVAR AS MÃOS!!!
    • Tem agentes patogénicos oportunistas
    • Exemplo: Laboratório de Microbiologia
  2. NSB-2
    • Nível Médio-Baixo
    • Já pode ser exigida Câmara de Fluxo Laminar (I ou II, dependendo da situação) bem como barreiras pessoais (luvas, máscara, etc).
    • Tem agentes patogénicos reconhecidos como causadores de patologias.
    • Exemplo: Laboratório de Bacteriologia Clínica
  3. NSB-3
    • Nível Médio-Alto
    • Barreiras obrigatórias (do NSB-2), acesso controlado e ventilação especializada.
    • Tem agentes patogénicos exóticos e/ou letais/infecciosos sérios
    • Exemplo: Estudo de Tuberculose (Mycobacterium tuberculosis)
  4. NSB-4
    • Nível Alto (Se tocas morres xD)
    • Barreiras e protecções máximas (Tudo a que tem direito...)
    • Tem agentes patogénicos exóticos e letais para o qual não existe tratamento ou vacina.
    • Exemplo: Estudos de Vírus de Marburg e da febre hemorrágica do Congo-Crimeia

 


Aerossóis*: Um bom exemplo é o caso de fumos/cheiros que emanam de certas culturas. As bactérias podem soltar-se e ficar em "suspensão" no aerossol, terminando nas nossas vias respiratórias, um belo local para viverem.


+ Sobre quem Bloga
Vasculhar
 
Links
Sites que referem para o Antrum
Coloque o link para este blog e o seu site figurará aqui!
Coisas Velhas!